Criatividade: adequação para melhor aproveitamento

  1. terça-feira, 30 de julho de 2013

 

O ambiente de trabalho cada vez mais competitivo torna essencial que uma organização preze pela criatividade de sua equipe.

Sobre este cenário, o Salário BR conversou com Eduardo Zugaib, palestrante especializado na comunicação como ferramenta de transformação pessoal, profissional e empresarial. Confira a entrevista:

- Em uma organização, o que pode ser entendido como criatividade?

A criatividade torna a empresa capaz de prever, antecipar e até mesmo provocar mudanças significativas em seu mercado, transformando toda a cadeia de valor. A empresa que se sustenta nas fórmulas que deram certo no passado, sem se dar conta de que o mundo muda a cada instante e cada vez mais rápido, tende a ficar pra trás. A criatividade, seja pela busca da inovação ou para adaptar-se de forma urgente ao presente, oxigena as atividades da empresa, ajuda na “queima da gordura” e a torna adequada e relevante ao seu tempo e espaço. Criamos e inovamos para avançar ou para não ficar pra trás. Parar nesse mundo dinâmico significa morrer.

- O que uma empresa pode fazer para desenvolver a criatividade de sua equipe?

O estímulo à iniciativa dos profissionais de todos os níveis, a comunicação fluente e respeitosa entre a equipe e seus líderes e a busca por um ambiente de estímulo, onde até os ‘erros’ são premiados – desde que tenham sido cometidos na busca pelo novo, são alguns dos fatores que ajudam a criar um ambiente para a criatividade.

- Quais são as ferramentas mais usadas para o estímulo da criatividade?

Existem diversas metodologias, tanto para desenvolvimento individual como em equipe, que ajudam a aquecer o processo criativo. A mais popular delas, o brainstorming, ainda é pouco dinamizada de forma que torne os resultados surpreendentes. Existem ainda os Mapas Mentais, que ajudam na geração e na organização de ideias por similaridade e a Associação de Ideias, que busca a intersecção entre universos aparentemente sem relação, mas que sempre surpreende em resultados. O relógio de pulso, o post-it e o velcro são alguns dos produtos que resultaram da associação de ideias aparentemente sem nexo.



Individualmente, o melhor caminho ainda é jogar ideias no papel, escrevê-las sem medo de errar e com total ausência de censura. Parece óbvio, porém não temos o hábito de transferir nossas ideias para o papel, deixando-as ‘flutuando’ em nossa mente, oras de forma consciente, oras de forma inconsciente, onde corremos o risco de perdê-las de vez nesse terreno pouco conhecido da mente humana. Colocar as ideias no papel ajuda-nos a desobrigar a mente de reter as informações em seu plano consciente, abrindo espaço para novas ideias, sejam elas puras ou associações. Funciona como num ponto de táxi: enquanto os primeiros não saem, todos os outros ficam parados.

Fonte: Salário BR