Criative-se

  1. sexta-feira, 30 de agosto de 2013

As soluções fora do comum são cada vez mais procuradas pelas empresas. Elas querem que seus empregados sejam criativos. Mas o que é essa tal de criatividade? Não se pode tocar. Não se pode medir. O máximo que se pode fazer é tentar definir o que é criatividade.

Ela é algo que nasce com todos nós. Se você já conviveu com uma criança de 5 anos sabe que ela pode transformar um cabo de vassoura ou uma lata de óleo em qualquer coisa que queira. Com o passar do tempo, você vai perdendo isso. Você se limita. E começa a analisar suas novas idéias sob a perspectiva do seu passado. É um dos maiores contra-sensos que existem. Se a idéia é nova, como ela pode ser comparada com alguma coisa que já aconteceu? Entender isso é uma das primeiras medidas para aumentar a criatividade na sua empresa.

Tanto os funcionários como os dirigentes querem isso. Querem se diferenciar dos concorrentes, querem ter mais idéias. Então, por que isso não ocorre?

Talvez porque a criatividade significa, em algum ponto, errar. E as empresas, via de regra, punem o erro. Os funcionários vão, assim,  se acomodando, seguindo o caminho que todos os outros já seguiram, fazendo o que já está sendo feito, e dando certo, desde mil novecentos e vovô-menino. Esse é o melhor caminho para todos irem confortavelmente para a falência. Os tempos mudaram. Os processos devem mudar, também. O que se espera das empresas, nos dias de hoje, é que saiam correndo atrás de seus objetivos. Ao encontrar uma pedra, ou uma bifurcação na estrada, não se pode parar e ficar analisando as possibilidades, realizando reuniões para decidir: não é melhor contratar uma consultoria? A empresa deve ter a presença de espírito para pular a pedra e escolher um caminho imediatamente.

Esse é o caminho para a criatividade. Ouse. Corra o risco. Perca o medo do erro. Faça acontecer. Escute os outros da sua empresa. Desenvolva a idéia. A hora é agora.

(Revista Técnica de Venda).